sábado, 2 de abril de 2011

História do tomate

          O tomate é uma hortaliça originária de uma região situada na área que compreende do norte do Chile ao Equador, entre o Oceano Pacífico, os Andes, e as Ilhas Galápagos .
          Eu me lembro claramente do dia em que me contaram na escola que tomate não era legume. Meu mundo caiu. Até aquele dia, eu sempre pensei que tomate -sempre na seção de legumes da venda, feira e mercado -só podia ser legume. Mas não, tomate era fruta e eu tive que ler isso com meus próprios olhos no livro de ciências para poder aceitar aquele fato trágico. Eu me senti um completo ignorante ao descobrir aquilo, e caí na real que sabia muito pouco sobre as coisas que eu comia.
          De um certo modo, nós sabemos muito pouco sobre os alimentos que ingerimos. Pouca gente sabe, por exemplo, que o tomate -apesar de ser fruta – é um dos vegetais mais consumidos em todo o mundo.
          O centro de domesticação do tomate foi o México, de onde foi levado para a Europa no período entre 1535 a 1544. De início, o tomateiro era usado como planta ornamental sendo considerado venenoso pelos europeus. Somente a partir do século XIX é que ele passou a ser realmente consumido como alimento e se difundiu pelo resto do mundo, sendo atualmente a hortaliça mais industrializada e mais importante em termos de produção e valor econômico.
         O tomate pertence a um extenso rol de alimentos da América pré-colombiana totalmente desconhecidos do Velho Mundo antes das grandes navegações, do qual fazem parte o milho, vários tipos de feijões, batatas, frutas como abacate e o cacau (de cujas sementes se faz o chocolate), afora artigos de uso nativo que se difundiram, como o chicle (seiva de Sapota (ou sapoti)) e o tabaco. Estes alimentos só chegaram ao velho mundo no século XVI
          No Brasil, a cultura foi introduzida pelos imigrantes italianos na virada do século, tendo se incrementado com a vinda dos imigrantes japoneses. A sua industrialização iniciou-se durante a Segunda Guerra Mundial, tendo-se desenvolvido rapidamente a partir da década de 70. Hoje, o Brasil situa-se entre os maiores produtores mundiais, ao lado de EstadosUnidos e Itália.

FONTE: mundo camp.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário