domingo, 29 de março de 2015

O DILEMA DA EDUCAÇÃO CRITICA FORMATIVA

             O grande desafio da educação básica hoje, está em fazer das nossas escolas um local atrativo para o ensinar e o aprender, fazer da escola um espaço de integração com a comunidade na qual esta seja vista como a instituição mais importante do espaço na qual ela está inserida.
            No entanto a realidade na qual nos encontramos, nos remete a repensarmos nossa prática enquanto docente, enquanto discente, enquanto escola, enquanto comunidade e enquanto instituição. Elevar a auto estima de todos que fazem a instituição escolar, materializa-se no grande desafio da nossa educação, uma vez que a grande maioria dos nossos alunos vivem no seio de uma comunidade de baixo nível de escolaridade, que não têm a rotina da leitura e do acompanhamento sistemático dos resultados do ensino aprendizagem da escola na qual ela pertence, bem como docentes que emergiram na profissão de pára-quedas e gestores que não têm a experiência devida para a função.  
            Em nível nacional, o que se observa, é um catatal de planos e projetos que na teoria prometem a salvação do ensino brasileiro, mas que na prática sabemos que estes não visam mudanças significativas no ensino, tendo em vista que tais planos constituem-se em políticas secundárias e de promessas eleitorais vazias que não visam às reais mudanças que a educação básica necessita, mas que na prática visam  os interesses de uma elite que não lhes convém um povo educado, mas sim um povo alienado e apto para ser manobrado.
                 A quanto tempo se fala em melhoria do ensino público no nosso país?
                Diante destas e de muitas outras prerrogativas que não pode passar despercebido, é a política de desvalorização dos profissionais da educação, com um piso, podemos assim dizer, nunca  saiu do papel. Assim sendo...
               Qual a finalidade da educação básica em nosso país?
               Formar cidadãos críticos ou alienados?
        Nos é incentivado a levar os nossos alunos a terem gosto pela aprendizagem, pela investigação, pelo conhecimento, pelo novo...
            Diante do quadro estrutural das nossas escolas públicas, apesar de algumas melhorias, isso é irônico, se não cômico!
       Como incentivar o espírito crítico investigativo do educando sem uma biblioteca adequada, sem um laboratório de ciências, e com uma laboratório de informática ineficaz. A busca pelo novo  fica assim restrita ao livro didático nosso de todo dia e a destreza do docente em conduzir suas aulas.  
                Vale dizer também, que uma educação critica não se faz somente com as mais modernas tecnologias do momento, mas com criatividade e vontade de todos os sujeitos que desejam mudanças significativas na sua comunidade. Vale também acrescentar que, o  que está sendo criticado aqui,  são as inúmeras políticas públicas  voltadas para a melhoria do ensino:: pactos, plano, projetos, leis... enquanto o governo poderia investir em apenas uma: A VALORIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO EM PRIMEIRO LUGAR.
            Por fim,  o dilema da educação critica formativa hoje é formar governantes que tenham coragem de realizar essa valorização e implementar a melhoria que o  ensino público necessita, a fim de ressaciar a dívida social que o nosso pais tem para com educação.



quinta-feira, 26 de março de 2015

A ocupação do interior

1) As bandeiras foram uma das mais características marcas da colonização portuguesa na América. Os bandeirantes eram habitantes da antiga capitania de São Vicente, posteriormente denominada capitania de São Paulo. Assim as bandeiras nasceram:
(   ) Com a finalidade apressar os índios para ensinar-lhes a fé católica visto, que muitos bandeirantes eram religiosos.
(   ) Garantir o monopólio exploratório do pau-brasil, principal produto de  valor econômico nesse período.
(   ) Como uma solução ao fracasso da lavoura de cana no litoral paulista, uma vez que os colonos da região encontravam-se em situação econômica muito grave.
(   )  Com a finalidade de administrar a América Portuguesa em nome do rei de Portugal.

2) Dentre as principais atividades dos bandeirantes podemos apontar, EXCETO:
(   ) A prospecção ou mineração – com o objetivo de encontrar metais preciosos.
(   ) O apressamento ou preação – expedições de caça aos índios.
(   ) O sertanismo de contrato – bandeiras contratadas para combater quilombos e índios rebeldes.
(   ) A de prospecção governamental – bandeirantes indicados pela Coroa para administrar as capitanias lucrativas de açúcar no Nordeste.

3) Durante mais de cem anos, a colonização do Brasil ficou restrita as áreas litorâneas. Até fins do século XVII, o interior da colônia não era conhecido pelos europeus e permanência como territórios dos povos indígenas.
            Com base no texto uma das conseqüências das bandeiras foi:
(   ) O enfraquecimento econômico de Portugal, visto que nunca foi encontrado ouro e metais preciosos na colônia .
(   ) A ampliação territorial  do Brasil para  o interior  ajudando- o a ter um dos maiores territórios da América do Sul.
(   ) A crise do sistema açucareiro pela concorrência do açúcar antilhano holandês
(   ) O fim da escravidão indígena em favor da escravidão africana

4) Hoje se sabe que os bandeirantes foram pessoas comuns, que desenvolveram atividades para a sobrevivência da capitania de São Vicente. No entanto ao longo da História do Brasil, os bandeirantes eram visto na imaginação popular de várias formas. Sobre este aspecto relacione a segunda coluna de acordo com a primeira:
(!) COMO AVENTUREIROS
(2) COMO VIOLENTOS E CRUÉIS
(3) COMO HERÓIS

(   ) Pois teriam ajudado o Brasil a ter um dos maiores territórios da América do Sul
(   ) Pois nas lutas com os índios, usavam facões e espadas para cortar cabeças, pernas e braços dos que resistiam a acompanhá-los.
(   ) Por que foram responsáveis pelo desbravamento do interior.

5) Com base no que você aprendeu sobre os bandeirantes, julgue as afirmativas em verdadeiras ou falsas.
(   ) As bandeiras eram formadas somente por brancos europeus, principalmente portugueses.
(   ) As bandeiras eram expedições que partiam para o interior â procura de riquezas
(   ) A duração das bandeiras variava de poucos meses a dois ou três anos, dependendo das dificuldades enfrentadas

(  ) Foram os bandeirantes que descobriram as tão procuradas minas de ouro e pedras na região de Minas Gerais 

6) Que nome tinham as expedições que se deslocavam pelos rios em busca de ouro?
(  ) Missões
(   ) Monções
(   ) Entradas
(   ) Bandeiras     

7) Revolta ocorrida em território do atual Estado de Minas Gerais, envolvendo paulistas e forasteiros:
(   ) Guerra dos Mascates;
(   ) Revolta de Beckman;
(   ) Guerra Guaranítica;
(   ) Conjuração Baiana;
(   ) Conflito dos Emboabas

8) Leia as afirmações abaixo:
I- A guerra dos Emboabas foi conflito entre mineiros e paulistas pelo controle das terras cultiváveis da região das Minas Gerais.
II- A guerra dos Emboabas está ligada ao desenvolvimento da indústria manufatureira na colônia, sendo uma disputa por mercados consumidores.
III- A guerra dos Emboabas foi um conflito onde os paulistas brigaram pelo monopólio da exploração do ouro na região de Minas Gerais.
IV- A guerra dos Emboabas teve como resultado a derrota dos paulistas.
As afirmações corretas são:
(   ) somente I, II, e III
(   ) somente I e II
(   ) somente III e IV
(   ) somente I e III
(   )  somente II e IV

GABARITO: 1 (C),  2 (D),   3 (B), 4 ( 3,2,1),  5 ( F-V-V-V), 6 (B), 7 (E), 8 ( C) 

quinta-feira, 19 de março de 2015

11 princípios da propaganda nazista


                 A propaganda foi uma marca dos regimes totalitários da Europa. No caso do nazismo, esse instrumento foi de fundamental importância para mobilização das massas em favor de uma ideologia que levou o munda ao segundo conflito mundial.  Com uma política nacionalista, antissemita, antiliberal, anticomunista e racista, Hitler pretendia fazer da Alemanha a grande senhora do mundo, no qual, para ele só os fortes sobreviveriam. No entanto as pretenções da Alemanha chocaram-se com os interesses russos na famosa batalha de Stalingrado, que veio finalmente a ruir quando teve seu território invadido pelos seus inimigos russos. 
            O objetivo de estarmos mostrando esse tipo de conteúdo, é fazer com que esse tipo de episódio não volte a ser noticiado. E que em vez de praticarmos a intolerância, possamos a praticar tolerância, pois, a diferença é uma das principais características do ser humano, e ela que nos faz especial.